SIM, A PORTA É ESTREITA (MAS NEM TANTO) | Ministério Graça sobre Graça

 

  SIM, A PORTA É ESTREITA (MAS NEM TANTO)

SIM, A PORTA É ESTREITA  (MAS NEM TANTO)

Por Cristiano França

 

"Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem." (Mateus 7:13-14)

 

Os versículos acima retratam com maestria e precisão o que ocorre no mundo atualmente em relação à Mensagem da Graça de Deus. De fato não precisamos nos esforçar muito para observar o quão larga é a porta e o quão espaçoso é o caminho do sistema religioso. Afinal, a quantidade escandalosa de pessoas que estão enveredadas pelas mentiras religiosas não deixa qualquer dúvida sobre isto.

 

Estima-se que hoje em dia há cerca de 2,1 bilhões (sim, bilhões!) de pessoas no mundo que se declaram cristãs. Isto é quase um terço da população mundial! E se colocarmos nesta equação as pessoas adeptas de outros segmentos religiosos, esta realidade ganha contornos ainda mais dramáticos.

 

Levando em conta apenas as pessoas que se dizem “cristãs”, eu pergunto: quantas destas estão realmente debaixo da Graça de Deus (no sentido de entenderem a Mensagem do Evangelho revelado a Paulo e o viverem plenamente em suas vidas)? Pois é. Confesso que quando pensei nisto pela primeira vez eu me senti bastante constrangido e meu coração se entristeceu muito ao constatar o óbvio: pouquíssimos são os que têm este inefável privilégio. Curiosamente eu não me percebi feliz por ser um desses agraciados; na verdade senti-me triste por saber que a esmagadora maioria das pessoas não pode usufruir de tamanho descanso que só as águas tranquilas da Graça podem oferecer.

 

Como já disse no início, a passagem citada na abertura do texto, apesar de ser outro contexto, fala muito do que ocorre em nossos dias. Não há dúvidas de que o caminho que conduz à Verdade da Graça é bastante estreito e um dos principais motivos desta triste realidade são exatamente os muitos anos de mentiras que o cristianismo impôs no entendimento do povo. Certa vez, Joseph Goebbels, ministro da propaganda nazista, disse algo que eu considero incontestável:

 

“Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade.”

 

Acredito que não exista frase mais apropriada para nos referirmos a tudo que o sistema religioso vem pregando ao longo desses séculos. As mentiras do cristianismo vêm sendo ditas há tantos anos, tantas vezes, que se tornaram “verdade” no mundo. Por isso que, quando falamos do genuíno Evangelho da Graça para as pessoas que se rotulam como cristãs, na maioria dos casos, elas o rejeitam, acham que se trata de uma falsa doutrina etc. Isto ocorre devido ao espírito subversivo da Mensagem que Jesus Ressuscitado deu a Paulo no Terceiro Céu em relação a quase tudo que é pregado no meio “cristão”, seja este Católico ou protestante/evangélico de maneira geral.

 

Apesar de tudo que disse até aqui no texto, acredito que podemos nos carregar de otimismo em relação à disseminação da Palavra da Graça no mundo. Minha visão otimista sobre a evangelização das pessoas com a Mensagem genuína de Cristo vem de algo que eu pensei logo após me sentir triste ao me deparar com a doída verdade de que a grandiosa maioria das pessoas não está debaixo da Graça: “Sim, o caminho e a porta são estreitos, mas nem tanto assim.”

 

O que eu quero dizer é que, para mim, há espaço na Graça para muitas pessoas ainda. Penso que há muitos no mundo que querem a verdade do Evangelho, mas que ainda não sabem disso, pois nunca ouviram falar da Mensagem da Incircuncisão defendida pelo apóstolo dos gentios. Neste caso, acredito que, mesmo com tanta rejeição ao Evangelho genuíno, não podemos desanimar, uma vez que certamente há incontáveis pessoas que, cansadas do jugo pesado do sistema religioso, estão à espera de alguém que lhes fale da Palavra que libertará definitivamente seus corações.

 

Em suma: nunca perca uma oportunidade de falar da Palavra da Graça. Afinal, “como ouvirão, se não há quem pregue?” (Romanos 10:14).

 

 




Voltar