PAULO ANULA JESUS DE NAZARÉ? | Ministério Graça sobre Graça

 

  PAULO ANULA JESUS DE NAZARÉ?

PAULO ANULA JESUS DE NAZARÉ?

Por Cristiano França

 

 “Mas faço-vos saber, irmãos, que o Evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os homens. Porque não o recebi, nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus Cristo.” (Gálatas 1:11 e 12)

 

Quem já vive em sua vida a Palavra da Graça sabe que o bom entendimento do Evangelho exige que separemos a mensagem de Paulo de todo o conteúdo restante da Bíblia. Por causa desta nossa visão da Palavra, inclusive, por muitas vezes fomos acusados de “adoradores de Paulo”, “anticristos” em relação a Jesus de Nazaré, entre outras bobagens.

 

É evidente que não adoramos a Paulo, muito menos somos “anticristos”. O próprio apóstolo dos gentios chama a atenção dos coríntios, pois parte daquela congregação se considerava pertencente a ele:

 

“…foi Paulo crucificado por vós?…” (1ª Coríntios 1:13)

 

Nós, diferente dos coríntios, temos plena consciência de que não pertencemos a Paulo. Ele não morreu por nós, não tirou os pecados, não é nosso “santo protetor” ou outras coisas heréticas semelhantes a esta. Nós sabemos que pertencemos AO OUTRO, isto é, ao Cristo Ressuscitado! E foi o próprio Paulo quem nos deixou este ensinamento:

 

“Assim também vós, meus irmãos, fostes mortos quanto à lei mediante o corpo de Cristo, para pertencerdes a Outro, (a saber) Àquele que ressuscitou dentre os mortos a fim de que frutifiquemos para Deus.” (Romanos 7:4)

 

Há alguns anos, certo “pastor” disse que nós, por pregarmos a Palavra do Evangelho baseados eminentemente na mensagem de Paulo, ensinamos a abolir “todos os ensinos de Jesus”. Conheço também outro líder religioso (que outrora disse defender o Evangelho da Graça) que afirmou que não prega mais a mensagem paulina, pois “prefere Jesus a Paulo”. Ambos os pensamentos são absurdos e explicarei o porquê: a primeira afirmação não faz sentido, pois quem nos acompanha sabe que valorizamos os ensinos de Jesus que constam nos livros históricos, desde que estes estejam devidamente em linha com a mensagem do Novo Pacto. Já pregamos diversas vezes sobre os ensinos de Jesus de Nazaré e aprendemos a distinguir as doutrinas do Nazareno que podem ser assimiladas por nós e as que são apenas para os judeus naquele momento — quando ainda estavam debaixo da Lei. Dizer também que não prega a mensagem de Paulo, pois “prefere Jesus de Nazaré” é, na verdade, uma total falta de argumentos para a regressão ministerial às obras da Lei, pois não é Paulo quem anula muitos dos ensinos do Nazareno; na verdade, é o próprio Jesus quem anula os ensinos de Jesus. O raciocínio ficou confuso? Vamos esclarecer.

 

Não é Paulo quem anula Jesus de Nazaré. É o próprio Jesus (Ressuscitado) quem invalida muitos de Seus ensinos ministrados nos dias de Sua carne. Não podemos nos esquecer de que a revelação que Paulo ministrava foi entregue a ele por Jesus Cristo Ressuscitado (leia novamente o versículo inicial deste texto antes de continuar). Neste caso, os ensinos de Jesus de Nazaré que não ultrapassaram a cruz (isto é, os ensinos específicos para os judeus que estavam debaixo da Lei) se tornaram ultrapassados e, consequentemente, superados por tudo que Jesus mesmo ensinou a Paulo. Em outras palavras, os ensinos sobre a Graça que o apóstolo nos deixou são os ensinos de Jesus, na verdade!

 

Em suma: não existe esta ideia de “Paulo contra Jesus”. O correto é Jesus Ressuscitado contra Jesus de Nazaré. E nós que vivemos neste período pós-cruz devemos pertencer ao Ressurreto (como já lemos em Romanos 7:4), seguir a Sua revelação (o Evangelho da Graça) e reter apenas o que é bom (1ª Tessalonicenses 5:21) de tudo que o Nazareno ensinou aos hebreus durante Seu ministério terreno.

 

Somos ABENÇOADOS!

 

 




Voltar