O GENUÍNO SIGNIFICADO DA FRASE “TUDO SE FEZ NOVO” | Ministério Graça sobre Graça

 

  O GENUÍNO SIGNIFICADO DA FRASE “TUDO SE FEZ NOVO”

O GENUÍNO SIGNIFICADO DA FRASE “TUDO SE FEZ NOVO”

Por Cristiano França

 

“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que TUDO SE FEZ NOVO.” (2ª Coríntios 5:17)

 

Não é novidade para quem já está em Graça que a quantidade de absurdos ensinados pela religião que se diz cristã é realmente imensa e a cada passo que damos no conhecimento do Evangelho genuíno vemos as deturpações se avolumarem de tal maneira que muitos de nós que viemos do sistema religioso nos perguntamos: “Como eu pude me deixar levar por tanta mentira?”

 

Lembro-me de sempre ouvir nas congregações legalistas que pertenci que o “Tudo se fez novo” dito pelo apóstolo Paulo tinha relação com a vida da pessoa que “aceitava a Jesus” e que mudava o estilo de vida. Exemplo: uma pessoa que fumava antes de “entrar para a igreja” e que depois de “se batizar” deixou o vício. Daí, as pessoas diziam: “Viram? O irmão Fulano fumava, mas depois que ‘aceitou a Jesus’ aqui na igreja ele se libertou do cigarro! Tudo se fez novo na vida dele!”. Ora, não obstante deixar de fumar ser algo extremamente positivo, o conceito real de tudo ter sido totalmente renovado por Jesus não tem absolutamente nada a ver com mudanças de hábitos oriundas de uma postura religiosa, por mais positivas que possam ser tais mudanças.

 

Quando damos uma atenção especial ao contexto do versículo inicial podemos vislumbrar muito claramente do que Paulo estava realmente falando:

 

“Assim que daqui por diante a ninguém conhecemos segundo a carne, e, ainda que também tenhamos conhecido Cristo segundo a carne, contudo agora já não o conhecemos deste modo. Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação; Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação.” (2ª Coríntios 5:15-19)

 

Que lições nós podemos tirar do contexto? Vejamos:

 

1) Não devemos mais conhecer a ninguém segundo a carne. Por quê? Porque a carne é Adão, e este já passou. O Adão espiritual (1ª Coríntios 15:45) já Se manifestou e, melhor, já morreu e ressuscitou. Ou seja, a natureza adâmica (carne) e todo o contexto anterior à cruz é que são as tais “coisas velhas” que já passaram.

 

2) Uma vez que a carne já foi desfeita na cruz (Romanos 6:6), o pecado também se tornou obsoleto, não trazendo mais condenação. Por isso que, como vimos acima em 2ª Coríntios 5:19, Deus não imputa mais os pecados cometidos pela carne. Isto também já é passado!

 

3) Ser nova criatura não é ser alguém que teve suas atitudes modificadas pela disciplina religiosa. Não! Ser uma nova criatura é ter sido circuncidado no coração, separado da carne pela obra realizada na cruz, para ser alguém com o espírito vivo, que possui a presença do Espírito Santo dentro de si, com a verdadeira mudança de vida trazida pelo conhecimento do Evangelho e com boas obras realizadas naturalmente.

 

4) Entendemos que “estar em Cristo” não é ingressar em uma denominação humana chamada de “igreja”. Estar em Cristo de verdade, por tudo que vimos até aqui, é não estar mais “em Adão”, ou seja, é estar depois da cruz, com a Obra redentora já totalmente realizada. Deste modo, podemos dizer que todas as ovelhas, independentemente de sua situação humana, já estão em Cristo, pois já estão no Novo Pacto plenamente estabelecido.

 

Através do contexto apresentado pudemos ver o que significa verdadeiramente o famoso “Tudo se fez novo” que Paulo falou, a saber: hoje não estamos mais em pecado, não estamos mais debaixo da Lei, não vivemos mais em condenação e o povo do Senhor não está mais submetido ao Adão carnal — agora estamos em Cristo, o Adão Definitivo.

 

De fato, tudo se renovou.

 

 

 

 




Voltar