O EVANGELHO DA GRAÇA E O AUTOCONHECIMENTO | Ministério Graça sobre Graça

 

  O EVANGELHO DA GRAÇA E O AUTOCONHECIMENTO

O EVANGELHO DA GRAÇA E O AUTOCONHECIMENTO

Por Cristiano França

(Instagram: @cfeleito)

 

“A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bonstodo o teu corpo terá luz.” (Mateus 6:22)

 

Os benefícios da Graça de Deus em nossas vidas são incontáveis. E conhecer o Evangelho que evidencia esta Graça (a revelação que o Cristo Ressurreto deu ao apóstolo Paulo) nos fez perceber o quão grande é o amor de Deus para conosco e quão maravilhosa foi Sua obra em nossas vidas. Todo este conhecimento certamente acarreta um impacto extremamente positivo na vida das ovelhas de Cristo, de modo que a nossa visão pessoal sobre nós mesmos muda completamente — e para melhor, é claro!

 

Como podemos ver no versículo inicial, é importantíssimo que os nossos olhos sejam bons. E o Evangelho da Graça faz exatamente isto com a nossa visão: a torna boa — excelente, na verdade!

 

“Tendo iluminados os olhos do vosso entendimento, para que saibais qual seja a sua esperança da sua vocação, e quais as riquezas da glória da sua herança nos santos.” (Efésios 1:18)

 

Certamente, com os olhos iluminados pelo entendimento da Graça, nós podemos olhar para nós mesmos e ver a nossa real posição, a nossa vocação e todas as riquezas espirituais que nos pertencem. Em outras palavras, por meio da iluminação de nossos olhos nós passamos a enxergar com clareza quem realmente somos em Cristo.

 

Antes, quando estávamos submetidos à religião, a todo legalismo dos homens e demais filosofias humanas, nossa autopercepção era a pior possível. Sem dúvidas, a maioria dos que passaram pelo sistema religioso se via (e muitos infelizmente ainda se veem) mais ou menos como os espiões enviados por Moisés para Canaã se viram:

 

“Também vimos ali os nefilins, isto é, os filhos de Anaque, que são descendentes dos nefilins; éramos AOS NOSSOS OLHOS como gafanhotos; e assim também éramos aos seus olhos.” (Números 13:33)

 

Na religião geralmente olhávamos para nós mesmos e nos víamos como: pecadores, “pó da terra”, sem a garantia da Salvação eterna, sem a presença do Espírito Santo em nós, em débito com Deus, em condenação, entre outros absurdos. Já por meio da revelação da Palavra nós passamos a conhecer a nossa real posição; e um dos pontos mais importantes que nós enxergamos com a iluminação de nosso entendimento diz respeito à nossa origem espiritual. Antes, pensávamos que nossa vida neste mundo era um acaso e que, por sorte, “aceitamos a Jesus” e conseguimos a possibilidade de sermos salvos por nossos méritos. No entanto, no Evangelho real aprendemos que o Senhor na verdade nos criou espiritualmente, consequentemente nos conheceu desde antes da fundação do mundo, nos escolheu ainda antes da Criação de todas as coisas e, por fim, nos salvou pela Graça:

 

“Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo (…) Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho (…) nos vivificou juntamente com Cristo (pela Graça sois salvos).” (Efésios 1:4; Romanos 8:29; Efésios 2:5)

 

Assim, hoje sabemos que não somos um acaso, mas frutos de um plano perfeito e eterno de Deus.

 

Enfim, pela Revelação hoje entendemos que não somos pecadores, mas, sim, novas criaturas; que não somos “pó da terra” (pois não nos conhecemos mais segundo a carne ― 2ª Coríntios 5:16), mas somos espíritos perfeitos e salvos para sempre; sabemos que o Espírito Santo já habita em nós (1ª Coríntios 3:16); sabemos que não estamos em débito, pois Jesus pagou nossas dívidas espirituais na cruz (Colossenses 2:14); sabemos que não estamos mais debaixo de condenação (Romanos 8:1), entre outros benefícios. Toda esta revelação nos faz olhar para nós mesmos e reconhecer a maravilhosa Obra do Altíssimo em nossas vidas.

 

Deus já nos abençoou!

 

 




Voltar