O ESPÍRITO SANTO HABITA OU FAZ “VISITAS”? | Ministério Graça sobre Graça

 

  O ESPÍRITO SANTO HABITA OU FAZ “VISITAS”?

O ESPÍRITO SANTO HABITA OU FAZ “VISITAS”?

Por Cristiano França

 

“Não sabeis vós que sois santuário de Deus, e que o Espírito de Deus HABITA em vós?” (1ª Coríntios 3:16)

 

Durante os anos em que pertenci ao sistema religioso evangélico convencional eu temi e me entristeci por “não ter o Espírito Santo” em minha vida. Ou melhor: por pensar que eu não tinha o Espírito do Senhor em mim. Temi, porque pensava que não seria salvo, pois no meu entendimento o Senhor ainda não me havia “batizado” com Seu Espírito. E me entristecia porque via algumas pessoas na congregação falando em “línguas” (na verdade, as pessoas balbuciavam o famoso e esquizofrênico “balá-balá-labaia” pentecostal que nada tem a ver com o dom de línguas real muito manifestado na Igreja primitiva — que se tratava da capacidade de se falar IDIOMAS estrangeiros terrenos, línguas estranhas à pessoa que falava, tudo por meio do poder do Espírito de Deus) e eu não conseguia expressar os mesmos delírios supostamente espirituais (que hoje sei que não passam de manifestações carnais). Recomendo muito os nossos vídeos, em nosso Canal no YouTube: “A verdade sobre o Dom de Línguas” (volumes 1 e 2).

 

Para muitas dessas denominações pentecostais (a maioria, na verdade) e neopentecostais (e até algumas que não se consideram participantes do movimento pentecostal, mas que usam o expediente das falsas “línguas estranhas”) só possui o Espírito Santo e, consequentemente, só é batizado Nele quem fala em línguas, mas isto não é verdade. Paulo, o apóstolo que mais ensinou sobre os dons do Espírito, põe para fins de retórica as seguintes questões:

 

“Porventura são todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? São todos operadores de milagres? Todos têm dons de curar? Falam todos em línguas? Interpretam todos?” (1ª Coríntios 12:29-30)

 

Evidentemente, a resposta para todas estas perguntas feitas pelo apóstolo é NÃO. Ou seja, assim como nem todos são apóstolos, nem todos são profetas e nem todos são mestres, nem todos falam em línguas estranhas (idiomas estrangeiros) pelo Espírito. O sistema religioso, contudo, conclui que “só é batizado no Espírito Santo quem fala em línguas” porque na Igreja primitiva as línguas (idiomas) foram o principal sinal de que o Espírito tinha batizado as pessoas. Porém, as línguas não eram o único sinal da presença do Espírito, mas apenas o mais visível. E só.

 

As ovelhas de Deus que nasceram a partir do Novo Pacto, mais precisamente depois do ano setenta depois de Cristo, já nasceram com a Nova Aliança totalmente estabelecida e, claro, já nasceram batizadas com o Espírito Santo de Deus. Assim sendo, obviamente, já nasceram possuindo a Sua santa presença habitando dentro de si. E é aqui que mora o grande problema da visão religiosa sobre a presença do Espírito na vida do povo de Deus.

 

Hoje em dia, por ainda terem suas mentes presas no Antigo Pacto, as pessoas no meio da religião não compreendem o conceito de habitação. Ou seja, por mais claro que esteja escrito na Bíblia que o Espírito do Senhor HABITA em nós (como vimos no versículo inicial), as pessoas continuam acreditando que o Espírito apenas “faz visitas” em suas vidas. Neste caso, eu pergunto: você faz visitas em sua própria casa? É claro que não! A visita vem à nossa casa, mas logo vai embora. Ora, nós somos a habitação, a casa, do Espírito de Deus; Ele mora em nós e jamais vai embora! Na Antiga Aliança as pessoas não gozavam da presença constante do Espírito Santo; elas apenas experimentavam pequenas e rápidas “visitas” quando Ele vinha sobre elas a fim de realizar algo muito específico. Por isso que era comum naquela época pedir a Deus que não retirasse o Seu Espírito (Salmos 51:11). Em pleno Novo Pacto não faz mais sentido dizermos que o Espírito apenas nos “visita” ou pedirmos que Ele não saia, pois O mesmo faz morada para sempre em nossas vidas.

 

A Promessa feita em Joel 2:28 já está cumprida: “Acontecerá depois que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne…”.

 

Glórias a Deus! Tudo já está consumado!

 

SOMOS ABENÇOADOS!

 




Voltar