INIMIGOS POR FALAR A VERDADE? | Ministério Graça sobre Graça

 

  INIMIGOS POR FALAR A VERDADE?

INIMIGOS POR FALAR A VERDADE?

Por Cristiano França

 

“Tornei-me acaso vosso inimigo, porque vos disse a verdade?” (Gálatas 4:16)

 

Paulo escreveu a carta Aos Gálatas com um intuito principal: fazê-los enxergar a grande boçalidade que eles estavam cometendo ao darem ouvidos ao sistema religioso daquela época — que invadiu a congregação com ideologias legalistas, impondo àquela igreja as malditas obras da Lei e, com isso, fazendo com que ela negasse o espírito da Graça.

 

Em sua missiva aos irmãos da Galácia é notória a insatisfação do apóstolo com as atitudes daquele grupo de eleitos que havia sido fundamentado no Evangelho da Graça pregado por ele:

 

“Estou admirado de que tão depressa estejais desertando daquele que vos chamou na Graça, para outro evangelho.” (Gálatas 1:6)

 

Apesar de sua origem no genuíno Evangelho, aquela igreja estava se desviando da Verdade de Deus.

 

Como apóstolo e fundador daquela congregação, ao saber do desvio de conduta espiritual daqueles irmãos, Paulo se sentiu obrigado a abrir-lhes os olhos do entendimento acerca do grande perigo para a vida de quem se submete às obras da Lei. Ao enviar a carta de admoestação Paulo pergunta, até com caráter retórico, se ele estaria se tornando INIMIGO dos gálatas por dizer a verdade a eles. Esta pergunta é pertinente, pois, lamentavelmente, as pessoas — a maioria delas, pelo menos — ficam absurdamente iradas quando falamos sobre a Verdade do Evangelho para elas. Um dos relatos que mais recebo em minha caixa de e-mails ou via redes sociais é o seguinte: “Abençoado, fui falar da Graça para uma pessoa e ela quase me bateu”. Muitas pessoas, inclusive, levam esta raiva para o lado pessoal, a ponto de cortarem relações conosco. Nem preciso ir muito longe para dar um exemplo disto que acabei de citar, pois grande parte da minha família de sangue, por causa da religião evangélica que professa, cortou relações comigo quase que totalmente, uma vez que eu não me submeti às mentiras de seu segmento religioso, a fim de que a Verdade do Evangelho permanecesse em minha vida (Gálatas 2:5). Hoje eu entendo o que Jesus de Nazaré quis dizer na passagem a seguir:

 

“Disse-lhe alguém: ‘Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, e procuram falar contigo’. Ele, porém, respondeu ao que lhe falava: ‘Quem é minha mãe? E quem são meus irmãos?’ E, estendendo a mão para os seus discípulos, disse: ‘Eis aqui minha mãe e meus irmãos. Pois qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, irmã e mãe’.” (Mateus 12:47-50)

 

Não tem jeito. A Palavra de Deus sempre irá se cumprir (felizmente!). E Paulo deixou algo bem claro para aqueles que desejam viver piamente na verdade de Cristo — que é o Evangelho da Graça:

 

“E na verdade todos os que querem viver piamente em Cristo Jesus padecerão perseguições.” (2ª Timóteo 3:12)

 

Não estou escrevendo sobre isto para desestimular os irmãos que lerão este texto. Ao contrário! Quero estimulá-los a seguirem nesta caminhada de levar a Palavra em Graça adiante. Porém, acredito que seja importante sabermos que a perseguição é algo inerente aos que se dedicam a levar a Graça ao mundo. E mais: certamente seremos considerados inimigos por causa da Verdade que defendemos. Mas, apesar disso, não podemos recuar! Temos que seguir em frente, sabendo que muitos se voltarão contra nós; porém, muitos outros terão os seus olhos iluminados por meio da Palavra em Graça que estamos propagando.

 

“Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguiram e, mentindo, disserem todo mal contra vós por minha causa. Alegrai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram aos profetas que foram antes de vós.” (Mateus 5:11-12)

 

 




Voltar