EVANGELHO DA GRAÇA: O FIM DAS DISTORÇÕES | Ministério Graça sobre Graça

 

  EVANGELHO DA GRAÇA: O FIM DAS DISTORÇÕES

EVANGELHO DA GRAÇA: O FIM DAS DISTORÇÕES

Por Cristiano França

 

“Procura apresentar-te diante de Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.” (2ª Timóteo 2:15)

 

Não é por acaso que Paulo usa o termo “iluminar os olhos” (Efésios 1:18) quando se refere ao que ocorre em nosso entendimento espiritual com a chegada do Evangelho da Graça em nossa mente. A revelação da Palavra que evidencia o Novo Pacto nos faz não só enxergar a Verdade de Deus contida na Bíblia, mas, com isso, também perceber as distorções da Palavra feitas pelo sistema religioso a fim de adequar a genuína mensagem do Cristo Ressuscitado às suas doutrinas heréticas.

 

Como está claro no versículo inicial do texto, Paulo recomendou a Timóteo que procurasse se apresentar diante de Deus aprovado. A primeira coisa que aprendemos é que é nossa responsabilidade a busca por estarmos aprovados diante de Deus quanto à Sua obra. Isto significa, acima de tudo, manejarmos bem a Palavra do Evangelho. Ou seja, somos nós que devemos buscar o bom manejo do conhecimento do Evangelho através do estudo, da busca por manter contato com a Palavra da Graça, enfim, pelo desejo de conhecer mais de Deus:

 

“Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor…” (Oséias 6:3)

 

Uma das coisas mais terríveis que a religião faz com suas falácias é exatamente o oposto do que Paulo recomendou a Timóteo. Os ensinos fermentados do sistema manipulam tanto o texto bíblico que as suas claras mentiras se tornam “verdades incontestáveis” (bem, incontestáveis até que a Palavra da Graça chegue ao entendimento do povo). O efeito deste tipo de uso do texto bíblico faz com que povo jamais esteja aprovado diante de Deus, pois são levados a manipularem pessimamente a Palavra.

 

Um dos expedientes mais utilizados no sistema religioso “cristão” é o isolamento de versículos. Isto é, grande parte das doutrinas da instituição Católica Romana e dos evangélicos de todos os segmentos (tradicionais, protestantes, pentecostais, neopentecostal etc.) está fundamentada em versículos totalmente isolados de seus respectivos contextos. Vejamos dois exemplos:

 

1) O deus deste século é o diabo.”

 

Base desta heresia: “Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus.” (2ª Coríntios 4:4)

 

Isolando o versículo do contexto bíblico, o “deus deste século” pode ser qualquer personagem, até o Pato Donald. Porém, se observarmos o contexto veremos que, na verdade, o deus deste século é Moisés, ou seja, é a Lei que cega o entendimento do povo. Note o contexto anterior imediato:

 

“E até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles.” (2ª Coríntios 3:15)

 

2) “Posso conquistar todos os meus desejos por meio de Cristo.”

 

Base desta heresia: “Posso todas as coisas naquele que me fortalece.” (Filipenses 4:13)

 

Segundo a interpretação do sistema, principalmente dos partidários da maldita “Teologia da Prosperidade”, em Cristo nós podemos conquistar todos os nossos desejos. Porém, se observarmos o contexto, veremos o que Paulo realmente quis dizer:

 

“Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.” (Filipenses 4:12)

 

Ou seja, “poder todas as coisas” é, inclusive, poder passar por necessidades.

 

Enfim, devemos louvar a Deus, pois Ele nos tirou de todas as distorções da religião. Mantenhamo-nos firmes, bem longe de toda heresia.


 




Voltar