EM GRAÇA NÓS VIVEMOS PLENAMENTE PELA FÉ | Ministério Graça sobre Graça

 

  EM GRAÇA NÓS VIVEMOS PLENAMENTE PELA FÉ

EM GRAÇA NÓS VIVEMOS PLENAMENTE PELA FÉ

Por Cristiano França

 

“...mas o justo pela sua fé viverá.” (Habacuque 2:4)

 

A palavra profética citada por Habacuque se manifestou a partir da Nova Aliança. Pena que muitos não compreendem o significado grandioso que está contido nesta expressão. Ao citar a profecia o apóstolo Paulo enaltece a nossa posição neste Pacto da Graça e confirma que em Cristo já vivemos esta realidade:

 

“Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: ‘Mas o justo viverá da fé’.” (Romanos 1:17)

 

Entendo que o viver por Fé tem dois aspectos e gostaria de tratar deles neste texto. O primeiro ― e o mais óbvio ― é o que diz respeito à nossa posição perante a Lei. Para efeito didático vou relembrar o que ouvi de uma pessoa pentecostal há alguns anos quando conversávamos sobre a Graça. Ela me disse o seguinte: “Cristiano, é preciso ter muita Fé para pagarmos o preço, jejuarmos, subirmos ao monte, fazermos vigílias...”. Este tipo de pensamento é fruto de um terrível desconhecimento da realidade que nos alcançou neste Novo Pacto. Paulo deixou muito claro:

 

“Ora, a lei não é da fé; mas o homem, que fizer estas coisas, por elas viverá.” (Gálatas 3:12)

 

Ao contrário do que os religiosos pensam, a Fé não é uma força para praticarmos as obras do Antigo Pacto. Na verdade, é totalmente o contrário deste pensamento. A Fé veio para substituir a Lei na vida do povo de Deus! Neste caso, viver da Fé, em seu principal aspecto, é viver independente das ordenanças da Antiga Aliança:

 

“Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, e encerrados para aquela fé que se havia de manifestar. De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados. Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio (isto é, da Lei).” (Gálatas 3:23-25)

 

O povo do Antigo Pacto não possuía a manifestação da Fé que foi revelada a partir da Nova Aliança. A fé deles, portanto, não tinha o poder de libertá-los da Lei. Neste Novo Pacto a Fé nos permite viver sem precisarmos da condução dos mandamentos antigos, ou seja, do “aio”, como disse Paulo. Este é o primeiro e principal aspecto de se viver por Fé: é estar totalmente livre da Lei.

 

O outro aspecto que gostaria de tratar diz respeito ao poder que temos para não olharmos as circunstâncias como elas, humanamente, são. Vamos conferir Paulo falando sobre isto:

 

Por isso estamos sempre de bom ânimo, sabendo que, enquanto estamos no corpo, vivemos ausentes do Senhor. Porque andamos por fé, e não pelo que vemos.” (2ª Coríntios 5:6-7)

 

Apesar das dificuldades que vivia, Paulo diz que estava sempre de bom ânimo. Por quê? Afinal, de onde vinha este sentimento tão positivo que sobrepujava todas as circunstâncias terríveis que o apóstolo vivia? Da Fé, evidentemente. Quem vive por ela tem esta perspectiva de poder para vencer todas as dificuldades e seguir em frente. Se temos a Fé (e todas as ovelhas a têm), podemos fechar os olhos para todo mal que o mundo nos oferece e nos concentrarmos na solução. Muitas vezes não enxergamos todas as possibilidades que temos justamente por não ativarmos a nossa Fé ― que ocorre quando submetemos nossos ouvidos à Palavra. Ao ouvirmos o som da verdade do Evangelho nós passamos a viver confiando no que a Palavra diz a nosso respeito e não naquilo que nossos olhos veem. Infelizmente, por não entenderem esta realidade, muitos ainda se submetem aos enganos das “campanhas”, “correntes” e demais invencionices do sistema religioso, que, ao invés de ensinar o povo a viver por Fé, faz de tudo para que os eleitos de Deus continuem amarrados aos seus engodos.

 

Felizmente, para glória de Cristo, por meio da revelação da Graça fomos ensinados a viver como os justos são chamados a viver depois da cruz, isto é, longe das obras da Lei e sempre olhando as dificuldades como mais do que vencedores ― que é o que nós somos em todas as circunstâncias.

 

“Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: ‘Por amor de ti somos entregues à morte o dia todo; fomos considerados como ovelhas para o matadouro’. Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores, por aquele que nos amou.” (Romanos 8:35-37)

 

 




Voltar