A SUFICIÊNCIA DA PRESENÇA DE CRISTO | Ministério Graça sobre Graça

 

  A SUFICIÊNCIA DA PRESENÇA DE CRISTO

A SUFICIÊNCIA DA PRESENÇA DE CRISTO

Por Cristiano França

 

"Aos quais Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é cristo em vós, esperança da glória." (Colossenses 1:27)

 

UMA DAS IDEIAS MAIS PRESENTES no meio do sistema religioso denominado “cristão” é a noção — absolutamente equivocada — de que todo aquele que se propõe a servir a Deus deve se esforçar para obter as bênçãos espirituais que, na realidade, por intermédio de nosso Senhor Jesus, já nos pertencem:

 

“Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo.” (Efésios 1:3) 

 

O que acabamos de ler, que Paulo escreveu à igreja dos efésios, não deixa nenhuma margem para dúvidas a respeito das bênçãos: elas já nos pertencem; já estão em nosso espírito. E por que podemos afirmar isto? Porque o Espírito de Jesus Cristo habita em nosso homem interior:

 

“Mas, o que se une ao Senhor é um só espírito com Ele.” (1ª Coríntios 6:17)

 

“Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele.” (Romanos 8:9)

 

Por isso afirmamos em nosso Ministério que uma pessoa não precisa de nenhum artifício (correntes, campanhas, “óleo ungido”, “oração forte” etc.) para alcançar a manifestação de uma bênção, pois tudo que precisamos pode se manifestar, segundo a vontade de nosso Pai, apenas por meio da Fé, manifestada através do ato de pedir:

 

“Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças.” (Filipenses 4:6)

 

A presença de Cristo não só nos isenta dos tolos sacrifícios e demais artimanhas da religião para a obtenção da manifestação de bênçãos nesta vida terrena. Através da morada perene do Senhor em nós, na verdade, temos a plena suficiência em todas as coisas:

 

“E estais perfeitos nele, que é a cabeça de todo o principado e potestade.” (Colossenses 2:10)

 

“Perfeitos” neste texto vem do grego peplērōmenoi (pleroó) que significa literalmente “pleno”, “completo”, “amplamente suprido”, “enchido até o topo”. Ou seja: do ponto de vista espiritual, nada nos falta. E isto nos remete à promessa contida no Salmo 23:1:

 

“O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará.”

 

Um grande exemplo do que a presença de Cristo nos livra é o famigerado jejum de alimentos:

 

“E Jesus disse-lhes: ‘Podem porventura os filhos das bodas jejuar enquanto está com eles o esposo? ENQUANTO TÊM CONSIGO O ESPOSO, não podem jejuar’.” (Marcos 2:19) 

 

No contexto Jesus disse que eles só poderiam jejuar nos dias em que Ele fosse retirado (referindo-Se, obviamente, ao período subsequente à Sua morte, até o Seu reaparecimento aos discípulos). Hoje, como já vimos neste texto, o Esposo está conosco; não devemos, portanto, jejuar. Cristo em nós nos é suficiente. Nele estamos completos. Não precisamos de nenhum subterfúgio religioso. Se nós somos santos diante de Deus, salvos eternamente, abençoados — e nEle somos tudo isso e muito mais! —, é porque Cristo habita em nós. Toda glória, pois, a Ele!

 

 

 




Voltar